terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Blogs podem mudar o Mundo

Por que não? Diante desse mundo tão caótico em que vivemos, que globaliza crises em vez de unificar soluções, a blogosfera pode sim refundar os paradigmas da esperança, pelo menos antes que a dança da humanidade termine em tragédia e ninguém mais esteja presente para chorar a nossa derradeira catástrofe. Os blogs não surgiram apenas para enfeitar a internet, apimentar a fogueira das vaidades e sofisticar as garras da publicidade.

Me perdoem, mas prefiro acreditar que os blogs têm uma missão maior a cumprir. O circo de contradições da vida real, que deixa milionários e mendigos dividirem o mesmo picadeiro, não merece ser levado muito a sério. O que quero dizer é que a blogosfera, além de fazer rir e entreter, também pode e deve nos fazer refletir e perceber que não somos inúteis. Um blogueiro inconsciente escreve apenas o que pensa, não importando o que os outros esperam ler, mas um blogueiro consciente escreve ainda o que não se diz, tentando despertar os leitores da sonolência induzida e fisgada pela teia dos poderes conservadores de plantão.

Não é preciso quebrar muito a cabeça para chegarmos à urgente conclusão de que o planeta está gravemente comprometido pelas insanidades, injustiças, egoísmos e hipocrisias humanas; ou melhor (pior) dizendo, desumanas. E uma das fontes cruciais dessa sucessão de barbáries reside na falta de informações livres, autênticas e ousadas, comprometidas com a busca e difusão altruísta da verdade, despidas por assim dizer dos interesses e melindres que freqüentemente regem as relações institucionais e poluem as convivências formais.

As escolas não costumam ensinar o que queremos aprender. A mídia não se interessa em informar o que precisamos ver, ler e ouvir. Os lucros do mercado são proporcionais à nossa ignorância. Os políticos se deixam hipnotizar muito fácil pelos cantos corruptores da sereia. A cidadania do povo brasileiro é preguiçosa, difusa e continua demorando para acordar. A responsabilidade social das empresas não vai muito além do discurso e de algumas iniciativas pontuais e impotentes, suficientemente discretas para não ameaçarem seus faturamentos. As igrejas estão mais preocupadas em arrebanhar fiéis do que em promover a espiritualidade, gerando abismos quando deveriam edificar pontes. A arte, após ser triturada pelas engrenagens da modernidade, está sendo engolida pelas etiquetas da moda.

Quanta escuridão exterior assusta nossas luzes interiores. Não culpemos o universo por estes versos tão desafinados. Mas nem tudo são tristezas nesse véu de incertezas. Por outro lado, os blogs estão abrindo espaço para novos atores e vozes, outras cores e valores; tantas vezes abafadas, hipnotizadas e burocratizadas. Os milhões de blogs que invadiram a internet não passam de ensaios da grande revolução que está por vir, alavancada e democratizada pelas conquistas científico-tecnológicas. Os jornais já perceberam esta mudança e estão passando a valorizar mais o papel, a mensagem e o talento dos blogueiros, aos quais não cabem se deixar curvar pela escravidão publicitária.

Aquele ou aquela adolescente que se habituou a biografar os detalhes diários de seu passado, com o tempo, tenderá a amadurecer seus conceitos e ampliar suas pretensões como blogueiro, isto é, como cidadão de um mundo virtual que ainda não se deu conta do gigantismo incalculável que se lhe avizinha em ritmo galopante e arrebatador. Os blogs também existem para antecipar utopias, catalisar transformações, semear sonhos, partilhar lições, orquestrando novas canções - embaladas e rimadas pela vocação grandiosa de mudar o mundo.

10 comentários:

mgmarcal disse...

Pablo! fez-me lembrar os tempos da revolução institucional que se deu na jovem guarda, o vanguardismo dos hippies que tomamos frente e o povo brasileiro com alurdida surpresa, aprovação e desaprovação, teve que sucumbir à modernidade de pensamentos e atitudes. Estas que, por sinal, foram muito mais avançadas do que as que aspiras que a blogosfera encabece.
Mas como faremos para erguermos bandeira (tenaz e ideológica) com assuntos futuristas que tragam alento e esperança para modificarmos este "modelo político-social" que vivenciamos? Hoje, meus pares que amavam e amam Chico Buarque de Holanda não têm a mesma ousadia.
Beijos,
Maria Souza - Porto Alegre - RS

PABLO ROBLES disse...

Oi, Maria, obrigado pelo comentário, com direito a resgate de acontecimentos áureos

Toda época tem seus desafios e propostas. Acho que uma das tarefas mais necessárias da blogosfera é questionar, requalificar e humanizar o padrão vigente da mídia tradicional (ou ela cede ou sucumbe, assim espero)

Evidentemente, o sistema capitalista, invidualista e consumista que condiciona nossas vidas é um grande limitador para mudanças estruturais, mas a ousadia não pode se entregar, não é?

Beijos

luanova disse...

O que sei é que o ser humano é que pode modificar o mundo, tanto para o bem como para o mal, e tudo que advem dele. E que espero é que cada ser humano tenha sua consciência voltada para o bem do seu próximo. Fazer sua parte para o bem estar do planeta e de todas aqui aqui vivem. Um abraço.

João S. Magalhães disse...

Na verdade, já está mudando faz tempo. Desde que um deles publicou o caso Bill Clinton versus Monica Lewinsky

Abraços

PABLO ROBLES disse...

Em uma matéria publicada em 10/12/2008 pelo portal de notícias do Ig, intitulada “Murdoch vê futuro digital para jornais e elogia blogueiros”, segue trecho que salienta o PAPEL DOS BLOGS:

“Murdoch também reforça o papel dos blogs independentes neste novo cenário da imprensa. "Antigamente um punhado de editores podia decidir o que era notícia e o que não era. Eles agiam como uma espécie de semideuses. Se eles publicassem uma história, ela virava notícia. Se ignorassem o fato, era como se nunca tivesse acontecido".

O empresário afirma que, com a democratização da internet, os editores estão perdendo o poder. "A internet dá acesso a milhares de novas fontes que cobrem coisas que um editor poderia deixar passar. Se você não se satisfaz com isso, pode começar seu próprio blog, cobrindo e comentando as notícias você mesmo".”

Wander Veroni disse...

Oi, Pablo!

Muito bonito o seu texto. Concordo com o que vc disse e vou além: o blog é uma mídia pq tds os dias os blogueiros querem ser lidos - e isso já é uma premissa de um veículo de comunicação.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

EAD disse...

Concordo com vc. veja que no caso da tragédia em Santa Catarina a campanha dos blogs foi muito importante.

All3X disse...

Pablo, que ótimo, gostei muito desse texto em particular.
Sou então mais um dessa rede que pensa no mesmo sentido.
A cada momento sou mais confiante que podemos sim ser agentes modificadores. Basta não nos resignarmos com os fatos e buscarmos uma postura diferenciada para lidar com os assuntos que nos circundam.
Valeu, e até logo
All3X

flaviosaudade disse...

Prezado Pablo, meus cumprimentos.

Seu texto reflete muits coisas boas e apesar de as palavras estarem fixas na tela movimentam nossos melhores sentimentos. Estou descobrindo este universo ainda, mas a cada dia me convenço do imenso poder que está a nossa disposição através dos blogs. Claro, ainda vemos esta importante ferramenta sendo utilizada de maneira inconsequênte e muitas das vezes até leviana, assim como toda ciência desenvolvida. No entanto, aqueles que se dedicam a edificar são muitos e fazem a diferença.

Fiquei muito feliz em encontrar o seu blog, me identifiquei muito com a mensagem e compartilho contigo deste sentimento de revolução. Porém, um sentimento que está intrissecamente aliado à ação.

No meu compreender, o trabalho sem fé é vazio, e a fé sem trabalho é morta. No entando, a fé sem amarras, estigmas; a fé na humanidade que existe em cada um para o bem de todos.

Irei criar um link do seu blog no meu: Gingando pela Paz no Haiti: relatos de um capoeiristas em terra haitiana. Onde relato minhas experiências na imlementação de um projeto que utiliza a capoeira como ferramenta de transformação social neste país. Estou inciando agora com um "socialblog" mas gostaria de compartilhar deste importante e necessário movimento.

Se desejar fazer uma visita, este é o nosso endereço: http://flaviosaudade.wordpress.com

Existe uma forma de eu postar o seu texto no meu blog?

Fraternal Abraço,

Saudade
Contramestre
Coord. Gingando pela Paz no Haiti
Viva Rio

PABLO ROBLES disse...

Caro Flávio

Desculpe a demora eu te responder (pois andei viajando e acumulei e-mails pendentes)

Fique inteiramente à vontade para reproduzir o que achar interessante em seu blog, citando a autoria/fonte.

Sinto-me feliz por você ter encontrado ecos estimulantes em meu blog, que busca levar mensagens sociais positivas e transformadoras para esse universo recente e cheio de promessoas da blogosfera.

E parabéns por seus trabalhos culturais no Haiti.

Abraços solidários!